Santa Missa (2)

A Europa já foi assolada por várias pandemias que mataram milhares de pessoas. Peste negra, Varíola, Tuberculose, Gripe espanhola, e outras. Naquela época não havia a medicina avançada, nem as facilidades de hoje, eram doenças letais.

Sabe como a igreja Católica Apostólica Romana daquela época se comportava? Abriam as portas das Igrejas, celebravam mais missas, conclamavam o povo para rezar mais, faziam procissões, abençoavam as casas, as pessoas, as ruas, iam aos encontros dos doentes dos leprosos, sem medo pois sabiam que era assim que Nosso Senhor Jesus também fazia.

A Itália foi atingida por uma grande peste no ano de 590. Uma peste fortíssima e sua propagação foi tão rápida que em poucos meses toda a cidade de Roma estava infestada, centenas de pessoas morrendo, milhares doentes. Alguns historiadores comparam o poder de propagação desta peste com a Peste Negra no fim da Idade Média que matou 1/3 da população da Europa. São Gregório Magno, Papa da época, pegou uma imagem de Nossa Senhora e passou por todas as ruas e vielas de Roma, sem deixar nenhuma rua de fora e consagrou a cidade inteira a Nossa Senhora.

O resultado foi surpreendente, no outro dia, a peste havia desaparecido da cidade e os doentes ficaram milagrosamente curados.

A imagem de Nossa Senhora usada por São Gregório ganhou um novo título, Salus Populi Romani, traduzindo: “A salvação do povo romano”.

Infelizmente, muitos nos dias de hoje fazem o contrário, àquele espírito Cristão forte de se doar e dar a vida pelo irmão está cada dia mais escasso. Eles trancam as igrejas, não celebram mais as missas, nem encontros de orações, nem procissões, até atender uma confissão muitos se negam a fazer.

Deixam o rebanho nas mãos dos lobos, do jeito que satanás gosta. Em nome do medo, do respeito humano, da prudência mundana e uma “santa obediência” cega, desobedecem o Deus supremo.

Será que Jesus aprovaria esse posicionamento? São Francisco de Assis, São Carlos Borromeo, São Camilo de Lélis, Santa Teresa de Calcutá, Santa Catarina de Sena, São Damião de Molokai, entre tantos outros santos são grandes exemplos de um amor ardente a Cristo e como um cristão deve se comportar em tempos difíceis pois eles sabem muito bem o que Jesus nos alertou:

“Digo-vos a vós, meus amigos: não tenhais medo daqueles que matam o corpo e depois disso nada mais podem fazer. Eu vos mostrarei a quem deveis temer: temei aquele que, depois de matar, tem poder de lançar no inferno; sim, eu vo-lo digo: temei a esse” (São Lucas 12,4-5).

Lepra (1)

Bispo ministrando o Sacramento a leprosos na África. E hoje nós suspendemos a Santa Missa por conta de um vírus.