Lumen Mariae | Autores: Grupo de Sacerdotes fieis ao Verdadeiro Magistério da Santa Igreja Católica Apostólica Romana

Anna Catharina Emmerick (1)

Beata Ana Catarina Emmerich (1774-1824)

Maio de 1823. «Tive de novo a visão da seita secreta que por todas as partes minava a Igreja de São Pedro. Trabalhavam com instrumentos de toda a espécie e corriam por aqui e por ali, levando as pedras que tinham arrancado. Foram obrigados a deixar o altar, porque não puderam tirá-lo. Vi profanar e retirar uma imagem de Maria.». (AA.III.556)

«Eu lamentava-me ao Papa e perguntava-lhe como é que ele podia tolerar que houvesse tantos sacerdotes entre os demolidores. […] Nesta ocasião vi porque é que a Igreja foi fundada em Roma; é porque aí está o centro do mundo e porque todos os povos se vinculam com ela por diferentes razões. Vi também que Roma permanecerá em pé como uma ilha, como uma rocha no meio do mar, quanto tudo ao redor dela cairá em ruínas».

«Quando vi os demolidores fiquei espantada pela sua grande habilidade. Tinham todo o tipo de máquinas: tudo se fazia segundo um plano: nada era casual. Não faziam ruído; prestavam atenção a tudo; recorriam a todo o tipo de artimanhas, e as pedras pareciam desaparecer frequentemente das suas mãos. Alguns de entre eles construíam: destruíam o que era santo e grande, e o que edificavam não era mais que vazio, oco, supérfluo. Levavam as pedras do altar e faziam com elas uma escadaria à entrada». (AA.III.556)

(Visões da bem-aventurada Ana Catarina Emmerich)

O mal da Igreja é sempre a sua falta de Fé. Nada mais é, porque a Igreja tem tudo para fazer a Obra de Deus no mundo que pertence ao demônio.

Mas os homens da Igreja, os homens que estão na Hierarquia da Igreja, os Bispos, os padres e outros membros da Hierarquia, não acreditam.

Esse é o seu pecado: o da descrença.

Apesar de seus estudos eclesiásticos e teológicos, apesar de terem o Espírito, eles ainda não acreditam, sem se deixar levar pelo Espírito Divino para tornar a Igreja o que Deus quer nela.

É por isso que estamos participando do Tempo da Apostasia, que significa: partir de tudo que é divino para nos render ao demoníaco.

Apostar é fazer o trabalho do demônio na Igreja. Não é sair da Igreja e fundar outra igreja com outros objetivos ou os mesmos que foram tidos na Igreja. É permanecer na Igreja, mas fazendo o trabalho do demônio, não o de Deus.

Essa apostasia, chamada de apostasia da fé, é o que prevalece na Hierarquia desde o Concílio Vaticano II. Começou o trabalho do demônio dentro da Igreja.

Lá, o demônio começou a mudar as mentes dos homens da Hierarquia eclesiástica e os levou para fora do recinto da Fé.

Assim, os bispos, padres, em seus ministérios na Igreja, apenas dão à mente humana, filosofia humana, perspectiva humana, a ciência do homem, e fazem a Igreja ver o mundo como o mundo se vê.

E uma vez que isso é alcançado na Hierarquia, o demônio começa a mudar tudo que é espiritual na Igreja. Ele tira orações, destrói tradições, separa congregações e causa, no meio da Igreja, uma confusão em todo o campo espiritual que ninguém pode enfrentar e ninguém sabe como se opor adequadamente.

Portanto, apenas dois papas foram corajosos neste momento de grande confusão na Igreja: São Pio X, que agiu contra o modernismo, antes de ser introduzido na Igreja, e o Beato João Paulo II, que não tinha medo dos homens que estavam na Hierarquia da Igreja e colocou o Espírito da Igreja no meio dela para lidar com a Igreja como Deus queria.

Os outros papas eram fracos diante dos homens da Igreja e não podiam fazer o que Deus queria na Igreja. Eles a mantiveram na fé, mas não sabiam como atacar o que o demônio estava fazendo na Igreja.

O tempo da apostasia é um tempo marcado pela destruição de tudo o que é divino na Igreja: desde a Cabeça até a Santa Missa, até não deixar nada que pertença a Deus.

As coisas divinas da Igreja devem ser removidas: sua Tradição, sua Palavra, as obras de Seu Espírito.

E esse trabalho é feito em silêncio, destruindo sem que ninguém perceba, a fim de lidar com o golpe mortal e definitivo.

O trabalho silencioso já foi realizado pelo demônio em 100 anos. Agora, é mais fácil para o demônio trabalhar na Igreja e colocar a pessoa certa para dar aquele golpe preciso e definitivo para tornar a Igreja de Cristo sua igreja. Fazer com que a Hierarquia da Igreja permaneça na Igreja, mas ensinando a mente do demônio e fazendo com que todos sigam esse ensino como uma coisa verdadeira, como proveniente da mão de Deus.

Então, o tempo do anticristo será manifestado na Igreja, com todo o seu poder demoníaco, para demonstrar ao mundo que a Igreja é de Deus e que opera no mundo as maravilhas de Deus. Mas será apenas a tela do demônio para enganar o mundo em sua inteligência demoníaca negra.

É necessário permanecer na Igreja, mas atacando tudo o que é do demônio. E é hora de atacar a Cabeça que o demônio colocou na Igreja e que age diante da Igreja como um verdadeiro Papa e é apenas o primeiro falso Profeta, que segue os ditames do demônio naquela obra demoníaca na Igreja. Nesta cabeça, que está agora, se vê tantas coisas do demônio nas entrelinhas que você só precisa esperar que ele se manifeste completamente para entender que não é um verdadeiro Papa, mas um falso que não sabe como dar o Espírito da Igreja à Igreja.

Esta é a apostasia da fé, difícil de entender para aqueles que buscam apenas o prazer dos homens e do mundo e que vêem todas as coisas como algo bom e algo que tem uma solução entre os homens.

Neste tempo de apostasia, tudo ficará complicado para todos, porque é uma revolta em tudo, para que o demônio consiga o que quer: a destruição da Igreja.