comunhão sacrílega (1)

A COMUNHÃO SACRÍLEGA É UMA OFENSA MUITO GRAVE

Comunhão Sacrílega é uma ofensa muito grave a Deus, comete um grande pecado.

A Comunhão Sacrílega consiste em receber Jesus Cristo em estado de pecado mortal, sem antes ter feito um exame de consciência e confessado o pecado cometido. Só se pode comungar em estado de Graça, depois de ter se arrependido e confessado o pecado, ter a consciência totalmente limpa do pecado mortal.

CATECISMO MAIOR DE SÃO PIO X

Quem comungasse em pecado mortal, receberia a Jesus Cristo? Quem comungasse em pecado mortal, receberia a Jesus Cristo, mas não a sua graça; pelo contrário, cometeria sacrilégio e incorreria na sentença de condenação.

SAGRADAS ESCRITURAS

“De modo que qualquer que comer do pão, ou beber do cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice. Porque quem come e bebe, come e bebe para sua própria condenação, se não discernir o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e enfermos, e muitos que dormem.” (1 Cor 11, 27-30)

OS SANTOS DA IGREJA

“Quem faz comunhão sacrílega, recebe em seu coração a Satanás e a Jesus Cristo; a satanás, para fazê-lo reinar, e a Jesus Cristo para oferecê-lo em sacrifício a Satanás.” (São Cirilo de Alexandria)

“Não há praticamente nenhum crime que mais ofende a Deus que a comunhão sacrílega.” (Santo Antônio Maria Claret)

“O comungante em pecado mortal comete um crime maior que Herodes.” (Santo Agostinho de Hipona)

“[O comungante comete um crime] mais assustador do que Judas.” (São João Crisóstomo)

“Não existe na terra um suplício que seja suficiente para punir quem comunga em estado de pecado mortal.” (Jesus à Santa Brígida)

“Confessai-vos com humildade e devoção. Se for possível, todas as vezes que fostes comungar, mesmo que na consciência não estejais sentindo nenhum remorso de pecado mortal.” (São Francisco de Sales)

“Também eu levanto a voz e vos suplico, peço e esconjuro para não vos abeirardes desta Mesa sagrada com uma consciência manchada e corrompida. De fato, uma tal aproximação nunca poderá chamar-se comunhão, ainda que toquemos mil vezes o corpo do Senhor, mas condenação, tormento e redobrados castigos.” (São João Crisóstomo)

“Lemos na vida de um monge de São Bernardo se atreveu a comungar em pecado mortal. Algo terrível! Logo que o Santo lhe deu a Sagrada Hóstia, rebentou como Judas e como ele foi condenado eternamente.” (Santo Antônio Maria Claret)

“Mas se a estes últimos pecadores [comungantes] não os pune de forma visível, já o está a fazer invisivelmente: com a cegueira de entendimento, dureza de coração, do seu abandono neste mundo, e em seguida, no outro, com o castigo eterno do Inferno.” (Santo Antônio Maria Claret)

“São Cipriano refere que alguns de seu tempo, não sendo dignos de receber a Sagrada Comunhão, depararam-se com uma dor intolerável nas entranhas e às portas da morte. São João Crisóstomo conhecia muitos possuídos por demônios por causa deste crime.” (Santo Antônio Maria Claret)

Anúncios