Chapeuzinho Vermelho e Lobo Mau (1)

“Sou um anjo da floresta, e estou aqui para proteger criancinhas como você”. LOBO MAU

As redes sociais são hoje um grande local de debate entre gente de esquerda e de direita. Tirando a patrulha petista que sai desembestada, escrevendo idiotices em toda e qualquer postagem contrária aos cânones de sua fé que encontrem pela frente, é muito comum encontrar pessoas que você imaginaria de direita posando de defensores dos fracos e oprimidos e engrossando o caldo da esquerda com seus cérebros farináceos. São empresários, advogados, nutricionistas, engenheiros, fotógrafos, médicos, arquitetos, esportistas e muitos outros profissionais, que dependem do capitalismo de livre mercado para existir, espalhando a mentira de que nem toda esquerda é comunista.

Não é preciso muito esforço para imaginar que nenhum desses defensores da esquerda suportaria viver num regime comunista como o de Cuba, por exemplo, onde seriam desprovidos de todos os seus luxos e também de suas necessidades primárias, como comida e roupa. Mas eles continuam acreditando nesta fantasia, de que é possível conciliar esquerdismo e liberdade, e de que o comunismo morreu quando a União Soviética foi desmantelada.

Se a contestação desta fantasia fosse algo muito difícil de se fazer, se fosse algo que somente pessoas geniais, de QI superior a 140, tivessem à disposição, eu poderia ficar com pena dessas pessoas e dizer algo do tipo: coitadinhos, são enganados porque é muito difícil contestar algo tão bem elaborado. Mas essa não é a realidade. O fato é que uma breve leitura das obras de Marx, disponíveis em uma infinidade de páginas na internet, mostrará que o socialismo é apenas uma etapa para se alcançar o objetivo final, que é o comunismo.

Mas, ainda que a preguiça seja grande demais para procurar por escritos do próprio Marx, restam os websites de partidos esquerdistas brasileiros e de organizações que fomentam a peste socialista/comunista, que apresentam material vasto e suficiente para acabar com essa mentira que tanto encanta as pessoas.

Vejamos:

  • “O objetivo superior do socialismo é o comunismo” – programa do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).[1]
  • “O comunismo concebido pelos marxistas é um sistema social muito mais avançada (sic) do que o socialismo que conhecemos, pois supõe o fim das classes e do Estado. O socialismo, segundo Marx, é um processo mais ou menos longo (dependendo do desenvolvimento da produtividade e da consciência social) de transição para o comunismo, no qual permanecem as classes sociais e a luta entre elas, a lei do valor, a divisão do trabalho, o mercado e outras heranças correlatas” – artigo de Umberto Martins para o website Vermelho.org.[2]
  • “O SOCIALISMO é um SISTEMA DE GOVERNO que serve como TRANSIÇÃO do capitalismo para o comunismo” – artigo de Júnior Bonfá para o website Gatilho da Mudança.[3]
  • “Como uma ideologia política, o comunismo é geralmente considerado como a etapa final do socialismo” – artigo da Wikipedia.[4]

Bem, com tantas evidências de que o socialismo nada mais é do que uma etapa para a implantação do comunismo, seria de se esperar que aqueles que estão cegados pelas mentiras esquerdistas se rendessem a essa simples verdade. Seria de se esperar, mas não é o que acontece. Uma vez colocados cara a cara com os fatos incontestáveis, muitos preferem buscar uma explicação alternativa, esquecendo-se de que, estatisticamente, a explicação mais simples é a com maior probabilidade de ser a correta. É então que caem na conversa fiada de outros esquerdistas, que afirmam que o socialismo é sim uma etapa para o comunismo, mas que nós não conhecemos o que é o comunismo verdadeiro porque ele nunca existiu.

Uma estratégia que conte com a mentira como sua principal informação tem que estar sempre preparada para lidar com a possibilidade de ser desmascarada em algum momento. É por isso que a esquerda trabalha com diversos níveis de mentiras, como uma cebola: quando você consegue tirar uma camada, logo em seguida encontra outra, e assim por diante. Mas assim como a cebola, em que a cada camada tirada você encontra mais do mesmo, até que enfim sobre o último pedacinho, que continua sendo cebola, quando descascamos as mentiras da esquerda continuamos obtendo sempre do mesmo: mais mentiras, até que sobre a última mentira, e nada mais.

Para entender melhor a cebola esquerdista de mentiras é preciso saber que existem três tipos de discurso na esquerda hoje, no que se refere ao comunismo. É muito importante ter em mente que, a despeito do discurso público, a convicção pessoal de um esquerdista nunca muda, mas tão somente se camufla em cores diferentes para capturar uma diversidade maior de mentes. É assim que a esquerda consegue se infiltrar em lugares distintos como sindicatos, igrejas, empresas e universidades.

O primeiro discurso, que costuma sair da boca da extrema esquerda, é de admiração clara pelo comunismo e do desejo inconteste de implementá-lo no Brasil. A extrema esquerda, que vou chamar aqui de comunistas de carteirinha, não só admite que os milhões de mortos dos regimes comunistas foram necessários, como acredita que, caso seja preciso, um outro tanto deverá ser sacrificado para que a revolução seja concretizada. São geralmente belicosos e violentos, tanto nas palavras como nos atos. Basta olhar para as invasões e depredações que o MST faz no campo brasileiro para se ter uma idéia de como essas pessoas se comportariam num ambiente em que estivessem no poder.

O segundo discurso, muito comum entre a classe média esquerdista e entre os políticos da esquerda moderada, que eu vou chamar de esquerda caviar, emprestando o termo cunhado pelo Rodrigo Constantino,[5] é o que acabamos de ver no começo do capítulo. Buscando dissociar o socialismo do comunismo, tentam dar ao esquerdismo um ar mais intelectual e uma aura de sofisticação, nem que para isso tenham que conviver constantemente com a incoerência de apoiar um sistema dito igualitário enquanto vivem uma vida de luxos graças somente ao capitalismo de mercado.

O terceiro discurso, cada vez mais comum entre intelectuais e professores esquerdistas, que eu vou chamar aqui de esquerda cínica, é o que afirma que o comunismo que o mundo viu no século XX não era comunismo, e que nem o socialismo foi sequer alcançado. Na verdade tudo o que aconteceu se resume a capitalistas de Estado que se camuflaram como comunistas, maculando a perfeição da doutrina marxista, que ainda será alcançada, quando os comunistas verdadeiros tomarem o poder. O próximo capítulo deste livro existe para combater esse cinismo sem fim, e desmascarar mais uma mentira.


Notas

[1] Disponível em: http://www.pcdob.org.br/texto.php?id_texto_fixo=6.

[2] Disponível em: http://www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna=35&id_coluna_texto=4616.

[3] Disponível em: http://www.gatilhodamudanca.org/2013/01/diferenca-entre-socialismo-comunismoe.html.

[4] Disponível em: pt.wikipedia.org/wiki/Comunismo.

[5] O termo em questão dá título a uma das obras de Constantino, Esquerda caviar. Para mais informações, consulte a Bibliografia Básica, no final do livro.

Fonte: QUINTELA, Flavio. Mentiram (e muito) para mim. Capítulo VIII.

Anúncios